Combate aos Inimigos

Atitudes, vícios e alimentos podem interferir e dificultar o desempenho cerebral, além de causar problemas graves ao corpo.

Será que você está em dia com aquele que comanda praticamente tudo no seu cotidiano? Não, não é seu pai, irmão ou um amigo: é o seu cérebro! Responsável por grande parte de ações vitais para sua sobrevivência, ele também precisa de cuidados para auxiliar você quando necessário. Caso algumas medidas não sejam tomadas, as consequências podem prejudicar o bom desempenho deste órgão que é imprescindível para o ser humano.

De acordo com o neurologista Christian Muller, professor do Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), alguns maus hábitos, como o uso de álcool, cigarro e outras drogas, surgem, geralmente, para se obter algum ganho ou prazer decorrente deles. “Realizar escolhas faz parte de toda nossa vida, más é necessário controlar os prazeres momentâneos e permitir uma felicidade mais genuína e duradoura na sequência”, afirma.

Práticas prejudicais

Com o passar dos anos, diversos hábitos se tornaram parte da rotina de um grande número de pessoas. Dentre esses fatores, podem ser citados o vício e a velocidade do mundo atual. “Como dano cerebral ou dano neuronal, dois dos mais importantes desencadeantes de lesão são as drogas ilícitas e o álcool”, cita Christian.

O professor também coloca nesta lista o isolamento em que vivem algumas pessoas, pois acredita-se que isso faça com que menos áreas cerebrais sejam ativadas e estimuladas. O uso indevido e em excesso de aparelhos eletrônicos, principalmente por parte das crianças, pode gerar alguns problemas, como dores de cabeça.

Como evitar ?

Falar em dano cerebral também quer dizer que neurônios foram prejudicados. Isso afeta diretamente funções básicas, como movimentos, sentidos, sentimentos e raciocínio. Para a médica neurologista Sônia Brucki, da Faculdade de Medicina de São Paulo (USP), é importante estar em dia não apenas com o cérebro, mas também com corpo.                               

 “A melhor forma de manter o cérebro bem é cuidando da saúde de um modo geral e mantendo atividade intelectual. É necessário evitar o estresse crônico e deve-se pensar sempre no ganho na qualidade de vida e na manutenção de uma boa cognição”, aponta a neurologista.

E a alimentação?

Um fator que interfere diretamente na saúde é a alimentação. Com o cérebro não é diferente. Ele depende de alimentos saudáveis, pois irão contribuir para seu funcionamento natural. Segunda a nutricionista funcional Carla Cotta, parceira do Sítio de Moinho, cuidar das refeições é essencial para um bom desempenho do cérebro.

Carla afirma que é importante escolher bem o lugar no qual se realiza uma refeição, mas isso esbarra na correria do dia – a  – dia. “A maior dificuldade é enxergar no consumo de alimentos prontos e industrializados, chamados de ‘alimentos práticos’”, explica a especialista”.

“A melhor forma de manter o cérebro bem é cuidando da saúde de um modo geral e mantendo atividade intelectual. É necessário evitar o estresse crônico e deve – se pensar sempre no ganho na qualidade de vida e na manutenção de uma boa cognição”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *